Carrinho

Telf.: 910 950 974 (Chamada para rede móvel nacional)

PORTES GRÁTIS a partir de 35,00€

De onde vem o chá?

Camellia sinensis diz-lhe algo?
Já viu ou ouviu este nome em algum lado mas não se lembra?
Dica: é o ingrediente-chave daquela bebida tão especial que lhe aquece e revigora a alma – o chá!

Contents:


De onde vem o chá? - Teapot.pt

De onde vem o chá?

Sabia que o chá vem de uma camélia?

É verdade, vem mesmo!

Mas não das conhecidas e coloridas camélias que habitualmente vemos a ornamentar os nossos jardins. O chá vem de uma variedade de camélia, chamada camellia sinensis.

O chá vem de uma variedade de camélia, chamada camellia sinensis.

 

Como é a planta de chá (camellia sinensis)?

Nativa das florestas tropicais e subtropicais (China e Índia), a camellia sinensis, descrita pelo botânico alemão (L.) Kuntze, é uma planta que pertence à família das theaceae.

De singela beleza mas também deliciosa, a camellia sinensis, também conhecida como planta do chá, é uma planta lenhosa, de folhagem persistente, com folhas elípticas, escuras e lustrosas, que apresentam nervuras bem definidas na superfície, margens denteadas, e tricomas – pequenos apêndice que existem na epiderme de algumas plantas – brancos e sedosos nas folhas mais jovens e nos gomos (tonalidade que mais tarde desaparece).

Embora alguns exemplares da planta do chá possa alcançar 10 a 15 metros de altura, a sua poda constante não a deixa crescer acima dos 1,5 a 2 metros.

Pequeninas e brancas, as flores da camellia sinensis surgem de janeiro a março e são geralmente constituídas por 4 ou 5 pétalas perfumadas. Estas nascem nas axilas das folhas, em grupos de 2 a 4 flores.

Os frutos – pequenas cápsulas globosas – têm cerca de 2 a 3 centímetros de diâmetro e são compostos por 1 a 3 sementes.

Mais uma vez, a constante colheita dos brotos e folhas mais novas, também afectam o desabrochar das flores e o aparecimento dos frutos, sendo ambos pouco comuns.

Originária das regiões tropicais – Este e Sudoeste Asiático e Índia – o cultivo da planta do chá está dependente de um solo fértil, ácido e bem irrigado, e de sol plano ou luz solar filtrada. Adora temperatura moderada e elevada humidade, daí a sua plantação ser feita junto a montanhas e planaltos com altitudes até 1.600 metros.

 

Quais as utilizações da planta do chá?

Até agora falámos de uma única planta – camellia sinensis – mas todos conhecemos vários tipos de chá. De onde vêm todos eles?

Esta mesma espécie tem o dom de dar origem a variadíssimos chás, todos eles diferentes. Estas variedades são possíveis graças às diferentes condições de cultivo, colheita, preparação e acondicionamento das folhas da camellia sinensis.

Esta mesma espécie tem o dom de dar origem a variadíssimos chás, todos eles diferentes. Estas variedades são possíveis graças às diferentes condições de cultivo, coleta, preparação e acondicionamento das folhas da camellia sinensis.

Embora a utilização da camellia sinensis para o chá ocupe o papel de protagonista, o óleo é outro produto que podemos obter, não das folhas, mas das sementes que encontramos no fruto bulboso que esta planta nos dá.

Quanto às flores, são também utilizadas em ornamentação de jardins, sendo as mais comummente utilizadas,a subvariedade que produz flores rosadinhas.

Mas de volta ao chá… para a sua produção são escolhidas as folhas mais jovens e os botões que se encontram no topo da copa dos arbustos.

A apanha destas folhas pode ser feita ao longo de todo o ano, assim que brotam novas folhas, mas o número de colheitas possível difere consoante a variedade da camellia sinensis (em alguns casos pode ir até 5 colheitas ao ano).

São três as variedades de camellia sinensis identificadas:

  • Camellia sinensis var sinensis
  • Camellia sinensis var assamica
  • Camellia sinensis var assamica ssp

As duas primeiras são as mais conhecidas e comummente cultivadas.

Na seguinte tabela podemos ver as características que diferenciam estas 3 variedades.

Nome Camellia sinensis var sinensis
(Chinary)
Camellia sinensis var assamica
(Assam-índia)
Camellia sinensis var assamica ssp
(Lasio calyx)
Descritor (L.) Kuntze (J.W. Mast.) Kitam (Watt) Wight
País China, Taiwan, Japão, Turquia, Norte Birmânia, províncias de Yunnan e Sichuon Índia, Sri Lanka, Quénia Cambodja, Indochina
Árvore Tamanho de um arbusto.
Altura média de 2m (pode chegar aos 5m)
Árvore mais alta.
A altura pode variar entre os 16 e 18m.
Árvore pode alcançar os 6 metros (normalmente entre os 4 e 5m), com vários ramos a crescer na vertical.
Folha Mais pequenas, com cerca de 5cm.
Delicadas. Alongadas. Posicionadas de forma mais vertical.
Maiores (entre 15 e 35cm)
Mais longas. Tenras.
Posicionadas de forma mais horizontal.
Várias colheitas ao ano (rebrotam passadas poucas semanas da colheita).
Folhas com dimensões entre os 5 e 11cm. Formato elíptico e posicionadas de forma vertical. Coriáceas e brilhantes.
Tipos de chá Branco, verde, oolong e preto. Preto, oolong e pu-erh. Preto e verde.
Características do chá Maior concentração de aminoácidos.
Menor concentração de polifenóis.
Maior concentração de cafeína.
Menor concentração de aminoácidos.
Menos aromáticas.
Maior concentração de polifenóis.
Maior concentração de cafeína.
Menos aromático.
Clima Regiões mais frias, enevoadas e montanhosas.
Climas temperados. Altitudes elevadas.
Regiões mais quentes. Climas tropicais húmidos. Tropical. Temperaturas amenas.
Tempo de vida 100 anos 40 anos

 

O que contém uma folha de chá?

Num rebento de chá metade da matéria seca é insolúvel em água – fibra bruta, celulose, proteínas, gorduras, amido, entre outros.

Entre os compostos que podemos encontrar na camellia sinensis destacam-se os antioxidantes, polifenóis (flavonoides e catequinas), aminoácidos, açúcares, ácidos gordos e vitaminas, que fazem desta planta um alimento funcional contra a artrite, reumatismo, colesterol, com ação adjuvante no tratamento capilar e da pele, no auxílio da digestão, dilatação dos brônquios e ainda alívio da gripe, acção antioxidante, anti-inflamatória e quimioprotetora.

Mas nem tudo são maravilhas…

A planta do chá contém outros compostos – cafeína – que podem causar agitação e insónia, comprometer a absorção do ferro e vitamina C, sendo desaconselhado o seu consumo por mulheres grávidas, crianças, pessoas com problemas de estômago, cardíacos, renais ou da tiróide.

Componentes:

  • Catequinas
  • Flúor
  • Alcalóides
  • Óleo essencial
  • Manganês
  • Potássio
  • Bioflavonoides
  • Ácido gálico
  • Theanina
  • Tanino
  • Ácido quínico
  • Epigalocatequina Galato
  • Betacaroteno
  • Tiamina (B1)
  • Riboflavina B25
  • Vitamina C
  • Vitamina B6
  • Ácido fólico
  • Cafeína
  • Minerais

Falando ainda de pontos menos positivos, há que salientar também os impactos ambientais que a produção em larga escala origina. Falamos da perda de habitats, prejuízo da biodiversidade, erosão, poluição das águas e solo devido ao uso de produtos tóxicos em plantações.

 

Existem plantações de chá em Portugal?

China e índia são os países que mais associamos ao cultivo de camellia sinensis, no entanto, esta planta é produzida por mais 30 países espalhados por todos os continentes, entre eles Portugal.

Portugal foi o primeiro país da Europa a adotar o cultivo de camellia sinensis, em meados do séc. XVIII, no arquipélago dos Açores.

Gorreana e Porto Formoso, ambos na ilha de São Miguel, são duas fábricas internacionalmente conhecidas que perduram até aos nossos dias trazendo até às nossas chávenas chás pretos de uma maravilhosa qualidade, nas variedades de pekoe, orange pekoe, e broken leaf, e que para quem não conhece: têm de experimentar!

 

Agora que conhecem um pouco mais desta planta versátil, nutritiva e complexa, vai uma chávena de camellia sinensis?

Deixe uma resposta